quarta-feira, 26 de março de 2014

A Vida Marinha com Steve Zissou de Wes Anderson (the life aquatic with Steve Zissou, 2004)


direção: Wes Anderson;
roteiro: Wes Anderson, Noah Baumbach;
direção de fotografia: Robert Yeoman;
estrelando: Bill Murray, Owen Wilson, Cate Blanchett, Anjelica Huston.

Há alguns meses atrás, depois de ter visto "Moonrise Kingdom" pela primeira vez, foi que tive vontade de visualizar a filmografia de Wes Anderson, cineasta de quem muito já ouvi falar, mas de cuja obra pouco conhecimento tenho. Já vi três de seus filmes ("Moonrise Kingdom", "Os Excêntricos Tenenbaums" e este que comento aqui), mas ainda não me sentia à vontade para comentar nenhum deles. Eis que aqui está o primeiro comentário acerca de um filme de um cineasta tão peculiar se levarmos em conta o ambiente do qual ele provém.

Sem dúvida existe uma marca no cinema de Wes Anderson. Uma marca que faz dele adorado por muitos e repelido por tantos outros. Devo admitir aqui também, que não me tornei seu admirador a partir da visualização do primeiro filme seu com o qual me deparei - aprendi a gostar de sua obra. Mas vamos ao que interessa, e aqui o que interessa é "A Vida Marinha com Steve Zissou". Esta marca presente em toda a filmografia de Anderson também se apresenta nesta película. No filme, Steve Zissou é um oceanógrafo-cineasta que vive de filmar suas aventuras pelos mares de todo o mundo.


Esta história é uma deixa para que o mundo de fantasia de um homem adulto possa ser apresentada na tela. "A Vida Marinha com Steve Zissou" se apresenta como se fosse uma obra de reminiscências, as reminiscências de um adulto de seus sonhos quando criança. Os sonhos de uma criança cinéfila quando assistia os documentários de Jacques-Yves Costeau e se imaginava vivendo aquelas aventuras. São estas aventuras imaginadas que se apresentam frente à câmera de Anderson. O sonho da criança que somente pode ser posto em um mundo "real" depois que esta criança já cresceu. E mesmo sendo um adulto sonhando como criança, o filme consegue passar o seu desejo aventureiro para o espectador com sucesso.

Assistir este filme é como retornar para a infância, enfrentar piratas armados e não levar nenhum tiro ao confrontá-los sozinho (eles são mais de vinte), bancar o herói quando seus amigos estão todos em perigo e sozinho resolver todos os problemas. Steve Zissou é esta encarnação do herói que toda criança queria ser - o homem que, mesmo já entrando na terceira idade, vive de aventuras. Ele é um herói sem superpoderes e sem grandes equipamentos para ajudá-lo a enfrentar seus problemas, mas que ainda assim é um herói.

Wes Anderson consegue criar esta ambiente imaginário infantil, e sem necessidade de fazer cenários reais para tal empreitada. Trata-se de uma grande brincadeira. Por isso os peixes são inventados e o cachorro que aparece no filme tem três patas. Steve Zissou brinca de fazer filmes como uma criança brinca de ser herói - um herói igual aquele que ele viu num filme e que quer imitar. É neste mundo paralelo, distante do mundo dos adultos, em que "A Vida Marinha com Steve Zissou" se apresenta. Tudo é muito exagerado, caricato, como um sonho infantil.

2 comentários:

Marcelo Keiser disse...

Esse filme é fantástico. Eu recomendo veemente aos que desconhecem essa obra, ou qualquer outra da autoria de Wes Anderson.

abraço

http://marcelokeiser.blogspot.com.br/2014/03/wes-anderson-em-cartaz.html

Yves São Paulo disse...

Concordo plenamente, Marcelo. Trata-se de uma obra belíssima que agrada pessoas de qualquer idade.
Valeu pelo comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...