terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Denúncia! Brasil Animado X Os Heróis da Galáxia

por: Yves São Paulo

O primeiro filme brasileiro em 3D não é o "Brasil Animado" que foi lançado nos cinemas recentemente e sim um filme feito no interior da Bahia cujo título é "Heróis da Galáxia". Muitas são as produções pioneiras deste país que caem no esquecimento geral da nação, mas para uma cidade que quase nunca tem um evento como este, na época do lançamento do tal filme muito se comentou, até mesmo na TV local.
O filme é uma animação/documentário sobre o espaço, já que a cidade onde ele foi produzido (Feira de Santana) é uma espécie de
pólo astronômico por sediar o único observatório astronômico do norte e nordeste, além de possuir um dos planetários mais avançados do planeta.
Embora se possa encontrar um pedaço do filme no "youtube" não são muitos os artigos sobre esta produção na internet, sendo que o artigo sobre ela no site "wikipédia" foi retirado por algumas pessoas que não acreditavam na legitimidade do filme.
Posso garantir que o filme existe pois até hoje guardo os óculos que foram entregues para todos aqueles que foram assistir ao filme. A partir dele posso colocar algumas informações como: o filme é do ano de 2005, e os personagens foram registrados pela empresa que produziu o filme a Art & Paint.
Sendo assim, toda a propaganda que está sendo feita a favor do filme "Brasil Animado" colocando-o como primeiro filme 3D do país não é verdade, e talvez não seja por má fé, mas por não conhecer o real pioneiro.

A Rede Social de David Fincher

por: Yves São Paulo

Saiu a lista do indicados ao Oscar 2011, junto a ela temos alguns filmes favoritos, como é o caso do filme "A Rede Social" (the social network, David Fincher). O filme
tem inicio com o som de uma guitarra, logo vem a voz do Jesse Eisenberg falando rapidamente, e junto à ela os ruídos do interior de um bar onde se encontram os estudantes de Harvard, sendo que o único momento em que conseguimos paz para os ouvidos é quando a namorada de Mark Zuckerberg o dá um fora e ele fica em silêncio e desta forma o barulho ambiente também é retirado dando lugar à trilha sonora composta para o filme, tudo isso unindo à fotografia que dá um tom sépia ao local. Com esta abertura notamos que a nova geração de cineastas possuem algo em comum, eles querem conquistar o espectador logo na primeira seqüência.
Este filme, além de nos introduzir a um novo elenco, que em breve deverá ser de estrelas de Hollywood, como o Andrew Garfield, que
já está gravando o novo Homem Aranha, no papel principal, nos é apresentado com imagens digitais, já que foi filmado com a câmera RED. Após "O Curioso Caso de Benjamin Button" David Fincher nos surge com esta película que mostra todos os conflitos por trás de uma gigante, o "Facebook", e todas as intrigas que fizeram desta página a maior rede social do planeta. E por trás dela temos o Eduardo Saverin, brasileiro que investiu no "Facebook" quando ele era apenas uma idéia na cabeça do Zuckerberg.
Aqui temos um candidato de peso para as premiações, já tendo levado o Globo de Ouro de melhor filme, "A Rede Social" é um daqueles raros filmes que não possuem um momento ruim, onde o espectador se cansa daquilo que está sendo apresentado, ou até mesmo, que seja repetitivo. Narrado de maneira não linear, de acordo com as lembranças de cada um no julgamento, a partir de um certo ponto, para que logo no inicio o espectador não seja surpreendido logo de cara por uma história que muitas vezes já conhece, ou até mesmo para que não preveja o que venha a acontecer no final. "A Rede Social" é mais um filme que prova que o cinema contemporâneo não morreu.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

A Arte dos Filmes

por: Yves São Paulo

Hoje os filmes de arte são ditos como desaparecidos, hoje os filmes feitos antes de clássicos (apenas para alguns) como "Tubarão" (jaws, Steven Spielberg) são, em grande parte, etiquetados como "filmes de arte". Será mesmo que o cinema dos dias atuais que decaiu tanto, ou será que são os atuais críticos que não conseguem enxergar a grandeza artística das produções da atualidade?
Existem sim muitos filmes que são feitos neste inicio de século que são
verdadeiras agressões aos olhos dos espectadores, mas que não podem ser utilizados como referência ao novo estilo de fazer cinema. Até a década de 1970 certas películas que custavam rios de dinheiro eram bem sucedidas, tanto nas bilheterias quanto nas críticas, um exemplo disto é o eterno clássico "...E O Vento Levou"(gone with the wind, Victor Fleming). Atualmente filmes como os da trilogia "O Senhor dos Anéis"(the lord of the rings, Peter Jackson) são um sucesso de público, mas não é amado pelos "entendidos de cinema" que parecem não ter conseguido enxergar a arte do filme (embora muita gente da academia de artes e ciências cinematográficas tenham visto), que arrebatou 17 Oscars ao todo.
Alguns cineastas da nova geração conseguem se mostrar verdadeiros artistas, como: Sofia Coppola e Jason Reitman, que embora não façam filmes com tanta freqüência como gostariam os espectadores (e depois de verem algum de seus filmes se tornam seus fãs) quando aparecem surpreendem a todos. Outros artistas que surgiram nos últimos tempos e que aos poucos começam a se fixar nas telas de projeção de todo o mundo são: Marc Webb (que após dirigir seu primeiro longa-metragem foi contratado para dirigir uma nova trilogia do Homem Aranha), Neil Blomkamp (sul-africano que recentemente dirigiu "distrito 9" e já tem diversos outros projetos pela frente). Não posso deixar de citar um nome do cenário nacional, Matheus Souza diretor do filme "Apenas o Fim" que conquistou o prêmio júri popular no festival do rio com seu primeiro filme.
Neste momento o cinema mundial sofre por uma renovação, àquela estrelas que brilharam em décadas passadas estão aos poucos deixando de brilhar, desta forma o caminho para novos talentos vai se abrindo e coisas ousadas começam a aparecer, assim quem quiser fazer críticas justas à filmes atuais deve assistir ao que anda aparecendo de artístico pelos cinemas mundo afora. O cinema não perdeu o seu brilho, e talvez nunca venha a perder.
Aqui vai uma lista de alguns filmes que merecem ser vistos antes que se fale que o cinema atual perdeu a sua arte:
Encontros e desencontros, dirigido por: Sofia Coppola (lost in translation).
(500) Dias Com Ela, dirigido por: Marc Webb (500 days of summer).
Amor sem escalas, dirigido por: Jason Reitman (up in the air).
Juno, dirigido por: Jason Reitman (Juno).
Apenas o Fim, dirigido por: Matheus Souza.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...